Fale com o Torq

Big Data e sua importância para os bancos digitais

| Analytics & Big Data,

As fintechs são as protagonistas da transformação digital no mercado financeiro. A partir do uso da tecnologia e de soluções inovadoras, essas startups mudaram a forma como os usuários se relacionam com as instituições financeiras. E o grande destaque dessa revolução são os bancos digitais.

O modelo tradicional de banco está perdendo espaço para soluções financeiras que oferecem mais praticidade, agilidade e autonomia aos usuários. Os exemplos mais comuns de bancos que nasceram digitais são Nubank, Next e Neon.

Leia também: Para ser digital, banco deve simplificar as interações

Os números comprovam o crescimento dos bancos digitais

Segundo a Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2019 – Ano-base 2018, as transações bancárias cresceram 33% nos canais digitais, sendo que de cada 10 transações, 6 são realizadas no internet e mobile banking.

Ainda segundo o levantamento, as movimentações financeiras digitais cresceram de 4,4 bilhões de transações em 2016 para 5,3 bilhões em 2017, e o mobile banking assumiu a preferência dos brasileiros, com 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências em 2018.

Os dados comprovam a tendência de crescimento dos bancos digitais no Brasil. E uma das tecnologias responsáveis por este sucesso é, sem dúvidas, o Big Data. Você já deve ter ouvido falar, mas sabe realmente do que se trata? Continue com a gente, vamos explicar.

O que é Big Data?

Podemos definir Big Data como um grande volume de dados – estruturados ou não – que necessitam de ferramentas especiais para serem encontrados, extraídos, organizados e transformados em informações que possibilitam uma análise minuciosa e rápida.

Portanto, Big Data refere-se a um conjunto de dados extremamente amplo e também às técnicas capazes de analisar essa grande quantidade de informações e transformá-las em estratégias assertivas para as empresas. Não se trata apenas dos dados disponíveis, mas sim o que as empresas fazem com eles.

Os 5 Vs do Big Data

O Big Data iniciou com três Vs, mas agora são cinco, considerados os pilares da tecnologia. Confira:

Volume: imagine todos os e-mails, tweets, stories, posts, fotos e vídeos que circulam na internet. Só no Facebook são 10 bilhões de mensagens, 4,5 bilhões de curtidas e 350 milhões de fotos compartilhadas todos os dias. O Big Data serve justamente para lidar com esse grande volume de dados.

Velocidade: refere-se à rapidez da circulação dos dados, e o Big Data serve para analisá-los no instante em que são criados, sem ter de armazená-los em bancos de dados.

Variedade: hoje em dia, a maioria dos dados não são estruturados, mas com o Big Data, eles podem ser administrados juntamente com os dados estruturados.

Veracidade: com o Big Data, não é possível analisar se todas as informações são verdadeiras, mas é possível identificar os dados corretos a partir de análises e estatísticas.

Valor: de nada adianta ter acesso à dados que não são relevantes. As empresas precisam se atentar às informações que agregam valor ao negócio.

Os benefícios do Big Data para os bancos digitais

O Big Data no mercado financeiro transformou a maneira de pensar os produtos e serviços oferecidos ao consumidor, a partir da análise de dados. E essa tecnologia continua beneficiando as instituições financeiras, sobretudo os bancos digitais, cada vez mais atentos às necessidades e preferências de seus clientes. Confira a seguir as vantagens do uso da tecnologia:

Otimização do atendimento ao cliente

A partir da coleta de dados de CRM, SAC, redes sociais, sites de reclamação e da própria movimentação bancária dos clientes, os bancos conseguem aprimorar o atendimento, aumentando a satisfação do cliente.

Prevenção e detecção de fraudes

Uma pesquisa global da Protiviti, realizada com 906 auditores, mostrou que 66% das auditorias internas já são realizadas com Ciência de Dados. O Big Data se tornou uma das principais ferramentas na prevenção e detecção de fraudes internas a partir da mineração de dados.

Proteção contra ataques

Com o uso do Big Data, é possível fortalecer o sistema de segurança da instituição financeira e identificar comportamentos suspeitos, protegendo as transações e o negócio como um todo.

Personalização de produtos e serviços

O Big Data permite que as instituições financeiras e bancos digitais analisem de forma profunda os produtos e serviços oferecidos, com o objetivo de personalizar as ofertas de acordo com cada tipo de cliente.
Com o Big Data, é possível monitorar movimentação bancária, preferência de compra e até a opinião dos clientes, aumentando assim a assertividade de campanhas e promoções.

Redução de churn

O churn pode ser: cancelamento de um investimento; transferência de financiamento; cancelamento de cartão de crédito; fechamento de conta. O Big Data avalia o comportamento dos consumidores para evitar que o churn aconteça, assim os bancos conseguem identificar quais correntistas estão mais ou menos satisfeitos.

Conclusão

Chegamos ao fim deste artigo. Esperamos que você tenha absorvido o que é Big Data e a sua importância para as instituições financeiras e bancos digitais. Aproveite a leitura e comece hoje mesmo a transformação digital do seu negócio. Fale conosco.