Carregando

Conexão entre corretores e startups é o motor da inovação no setor de seguros

Evento organizado pelo Sincor-SP reuniu profissionais, empreendedores e entusiastas da tecnologia para analisar os impactos da transformação digital e da atuação das insurtechs no segmento

A abordagem competitiva entre os tradicionais corretores e as insurtechs perde força a cada dia dando lugar a um olhar colaborativo entre as duas formas de atuar. Esta conexão está sendo apontada como fator capaz de impulsionar o surgimento de produtos e modelos de negócios inovadores no ecossistema de seguros do Brasil.

Esta foi uma das principais tendências apontadas no evento “Agenda Digital – Tecnologia no Universo do Seguro”, realizado pelo Sincor-SP no dia 30 de julho, em São Paulo. A iniciativa reuniu empreendedores e empresários de tecnologia e do mercado de seguros com o objetivo de buscar respostas para indagações como: Quais as inovações do mercado de seguros? Qual o papel do corretor de seguros diante da tecnologia?

Segundo reportagem publicada no portal do Sincor-SP, ao fazer a abertura dos trabalhos o coordenador do Comitê de Inovação do Sincor-SP, Marcelo Blay, ressaltou que independente das tecnologias usadas nas empresas, quem nunca deve ser esquecido é o cliente. Ele fez a resslava de que não adianta ter tecnologia de ponta se não valorizar e priorizar o segurado, que quer velocidade e qualidade no atendimento.

“Não estamos sendo mais comparados com os concorrentes do nosso setor, mas sim com Netflix, Google, Apple. O consumidor quer ter a mesma qualidade no nosso atendimento que ele tem nessas empresas”, disse.

Durante a programação, o Co-Founder & CEO da Kakau, Henrique Volpi declarou que os corretores têm que fazer conexões com as startups, pois assim podem surgir novos produtos de seguro e novas soluções para o mercado. Ele fazia parte do debate sobre as “Oportunidades e desafios da tecnologia na corretagem de seguros”. A discussão abordou as vantagens de os corretores levarem as demandas do setor às empresas de tecnologia, considerando o vasto conhecimento de mercado que esses profissionais possuem.

Abordando o mercado de insurtechs no Brasil e seus efeitos na distribuição de seguros, o CEO da Insurtech Brasil, José Prado, lembrou da tendência do mercado em colocar medo no corretor de seguros. “O setor tem espaço para todo mundo. E os corretores, que lidam diretamente com o consumidor, são os mais capacitados para trazer as soluções necessárias para o mercado. Estamos falando de insurtechs, mas tem algumas soluções digitais que estão vendendo os mesmos produtos que o mercado de seguros já trabalha”.

Para o Founder & CEO da Pitzi, Daniel Hatkoff o maior desafio do mercado de seguros é descobrir quais os produtos que podem ser oferecidos em quais canais e para quais perfis de clientes. “O corretor de seguros pode ajudar nisto”, declarou

O presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, afirmou que é preciso discutir as mudanças que afetam o mercado de seguros. “O mundo está em transformação, não só o mercado de seguros. Nós somos agentes dessa transformação, nós temos que ter a lucidez para saber qual o papel que devemos cumprir. E nossa missão, como Sincor-SP, é promover, ajudar e conduzir o corretor de seguros a essa necessária adaptação da evolução, da transformação digital”, finalizou.

Os esforços para promover a conexão entre empresas estabelecidas do setor financeiro e de seguros, seus profissionais e os empreendedores do setor de tecnologia como insurtechs e fintechs fazem parte do dia-a-dia do Torq. Acreditamos que esta união de competências resulta num manancial de inovações capazes de atender aos desejos dos clientes da nova geração. Venha se unir e se fortalecer conosco. Entre em contato.