Fale com o Torq

Novo livro analisa revolução trazida pela inovação associada à economia do compartilhamento

| Tendências,

Obra acadêmica com participação de pesquisadores e especialistas em políticas públicas e tecnológica aborda o tema do ponto de vista jurídico, administrativo, de sistemas e dos novos modelos de negócios

Empreendedores de startups e executivos de empresas estabelecidas preocupados em desenvolver projetos consistentes para enfrentar e aproveitar as tendências futurísticas ganharam um importante apoio em outubro com o lançamento do livro “Inovação em serviços na economia do compartilhamento”.

A obra lançada pela Editora Saraiva reúne o pensamento de 12 autores de áreas distintas que fazem uma imersão no assunto começando pelo chamado mundo em plataformas, passando por toda a transformação verificada na maioria das indústrias por conta de novos modelos de negócios baseado em tecnologia.

Só para exemplificar, segundo reportagem do portal Convergência Digital, são avaliados os efeitos trazidos por plataformas como Airbnb, Uber e Groupon, que compartilham recursos, reduzindo os investimentos em ativos fixos.

Os autores também falam sobre ícones como como Amazon, a revolução das fintechs e ferramentas como o WhastApp, que prometem transformações profundas e ameaçam diretamente indústrias tradicionais como o varejo de lojas físicas, bancos, corretores e serviços de telecomunicações.

Além disso eles lançam insights sobre o segmento de produção de conteúdo pelos usuários (Facebook, Linkedin, Google, Wikipédia) e plataformas como Spotify, Netflix, SaaS e Kindle, que transformam produtos em serviços.

Coordenado por dois profissionais da área econômica, o livro tem um olhar acadêmico também sobre estes temas sob o ponto de vista jurídico (direitos autorais), administrativo, de sistemas (software e novas tecnologias), de novos modelos de negócios e de empreendedorismo.

O material foi organizado pelo professor titular do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Paulo Bastos Tigre, e pelo coordenador das Pesquisas Empresariais, Estruturais e Temáticas do IBGE, Alessandro Maia Pinheiro.

Na matéria do portal Convergência Digital, Paulo Tigre afirma que a riqueza do livro está na visão de pessoas com qualificações diferentes. Segundo ele são pesquisadores, especialistas em políticas públicas, cientifica e tecnológica envolvidos com áreas como direito, administração e engenharia.

Muitos capítulos resultaram de teses de doutorado enquanto outros são frutos de entrevistas em empresas nacionais e multinacionais que adotaram o compartilhamento, como o Cubo, do Itaú, e a rede Impact Hub.

São usados ainda estudos com startups que procuram desenvolver novas tecnologias.

 

O livro aponta tendências como a tecnologia blockchain, a internet das coisas (e a internet dos serviços – IoS), a inteligência artificial (IA), o big data, e o impacto dessas novas tecnologias em empresas com estabelecimentos físicos.

Os especialistas também examinam os modelos de negócios adotados por plataformas para competir no mercado de bens e serviços digitais e oferece um rico glossário, conceituando cada uma das tecnologias e terminologias citadas.

Finalizando, Pinheiro faz uma explanação sobre as alternativas teóricas e metodológicas existentes para medir atividades de inovação em serviços. Neste capítulo ele explica a razão das inovações de natureza digital, financeira, organizacional, de marketing e relacionada a novos modelos de negócios não serem adequadamente capturadas pelos indicadores convencionais.

Sejam quais forem estas razões, o fato é que o Torq captura todas essas tendências no seu dia-a-dia. Com o apoio de profissionais totalmente imersos nestes temas e distribuídos por todo o ecossistema de inovação, incluindo a academia, desenvolvemos projetos que usam todos esses exemplos como inspiração para produzir a inovação que fará a diferença no futuro. Entre em contato e vamos nos aprofundar sobre o assunto.